Compostagem de Dejetos Suínos

 

Discutir o sistema de tratamento de dejetos de suínos por compostagem de maneira ampla, analisando as viabilidades ambientais, sociais e econômicas e os diferentes processos de compostagem, este foi o objetivo da “Oficina de Compostagem de Dejetos de Suínos” - Projeto de Desenvolvimento Social Ambiental e Econômico, que foi realizada nos dias 14 e 15 de abril. Concórdia, principal pólo de suinocultura no Estado, foi a cidade escolhida para sediar o evento organizado pela Associação Catarinense de Criadores de Suínos, ACCS com o apoio da Embrapa Suínos e Aves, da Epagri e do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. O evento reuniu representantes de órgãos governamentais de todas as esferas e entidades de todo o Brasil.

Nos dois dias da Oficina foram discutidos temas como o panorama geral de tratamento de efluentes da suinocultura, legislação e normativas para licenciamento ambiental, além de fundamentos teóricos sobre o sistema de compostagem. Participaram do evento cerca de 70 técnicos de nove Estados produtores de suínos, onde os mesmos puderam conhecer as demandas de pesquisa e políticas públicas para que o sistema de compostagem seja viabilizado nas propriedades suinícolas do país. De acordo com o coordenador do evento, Felipe Penter, o evento foi uma grande oportunidade para encontrar com os maiores especialistas em compostagem de dejetos suínos do país. “Uma iniciativa que ajudará nas questões ambientais, é ainda, a compostagem que será difundida em todo o país”.

“O dejeto de suíno é um brilhante, um diamante a ser lapidado”, a afirmação é de Aneli Dacás Franzmann, Diretora das Indústrias Intensivas em Mão-de-Obra e recursos Naturais do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Ela enfatiza que o dejeto não é um problema e sim a solução. “A suinocultura é o carro chefe em exportações brasileiras, porém é preciso tirar a impressão de que a atividade traz desconforto para a sociedade, polui rios e divide setores”. Ela enfatiza que o setor industrial, para ser competitivo precisa que o produto tenha qualidade e agregação de valor. Aneli destaca ainda que é preciso produzir e ser competitivo no mercado, produzir um selo indicando que a produção é ambientalmente correta. “São ações que serão buscadas para o desenvolvimento sustentável, é preciso ter consciência que não podemos trabalhar mais sem pensar no meio ambiente”. Segundo Aneli a partir de agora serão buscadas políticas públicas capazes de solucionar os problemas sem prejudicar ninguém.  

De acordo com o presidente da ACCS, Wolmir de Souza, os objetivos foram alcançados com sucesso, pois a Oficina veio fortalecer e tirar dúvidas de um modelo que já existe. “O que levamos do evento é que a oficina foi o lugar para buscarmos o modelo a ser criado, e ainda, que é uma tecnologia aprovada, porém com alguns pontos a serem ajustados”. O Secretário de Estado da Agricultura, Enori Barbieri, que esteve presente no evento enfatizou a importância processo de compostagem para a suinocultura no Estado. “Todos estão em busca de uma causa muito importante, nós poderemos avançar muito utilizando a compostagem para o tratamento de dejetos suínos”, disse.

Trabalho em grupo e resultados

Durante o evento foram formados grupos de trabalhos para debater os seguintes temas: processos de compostagem, manejo de dejetos para compostagem, viabilidade do composto como fertilizante, viabilidade econômica e legislação – normativas para licenciamento ambiental.  Após a apresentação dos grupos, ficou definido que o sistema de Santa Catarina poderá se tornar padrão no Brasil. De acordo com Léo Rufato, coordenador técnico da Oficina, a oficina surgiu para padronizar o nível dos participantes e definir metodologias de processos adequados para a compostagem. O resultado será descrito em uma publicação que irá nortear as ações governamentais para a difusão e aprimoramento do sistema de compostagem automatizado no Brasil.

 

 

 
12 | 05 | 2014
10 | 04 | 2014
25 | 03 | 2014
17 | 12 | 2013
29 | 05 | 2013
23 | 05 | 2013
14 | 05 | 2013
06 | 05 | 2013
04 | 05 | 2013
03 | 05 | 2013
26 | 04 | 2013
24 | 04 | 2013
18 | 04 | 2013
05 | 04 | 2013
26 | 03 | 2013
12 | 03 | 2013
11 | 03 | 2013
08 | 03 | 2013

------  MAIS NOTÍCIAS  ------

Preço Suíno (Independente)

Bolsa de Suínos  R$ 3,59
Toledo R$ 3,40
Cascavel R$ 3,30
Pato Branco R$ 3,25
Guarapuava R$ 3,50
Irati R$ 3,50
Suíno . com - PRR$ 3,51
Leitão-Toledo R$ 5,44
Carcaça - Bolsa R$ 5,69

Farelo Soja-Média/PR-Ton-Fob

Ensacado   R$   1.042,00 
Peletizado  R$   1.005,00    

Milho e Soja (Saca 60 Kg)       

Agrolink             Milho      Soja

Paranaguá R$ 23,50  R$ 65,50
Ponta Grossa R$ 20,55  R$ 55,24

Scot-Consult     Milho       Soja

Paranaguá  R$ 24,00  R$ 66,50
Ponta Grossa  R$ 22,50  R$ 63,50

Atualizado em 24/07/2014

____________________________


Criação de suínos caipiras

 

Tender


ASSOCIAÇÃO PARANAENSE DE SUINOCULTORES - APS
Rua Conselheiro Laurindo, 809 - Sala 910 Centro
Curitiba - PR CEP: 80.060-100
Telefone: (41) 3223-1207 Fax: (41) 3223-1535
E-mail: aps@aps.org.br
su aritma su aritma su aritma su aritma su aritma